Quarta-feira, 24 de Agosto de 2011

Aprender a ser mãe

O título é uma falácia. Não se aprende a ser mãe. Não no sentido estrito da palavra. Mas aprende-se com exemplos. Com pessoas que, sem nos quererem ensinar nada, nos mostram, pelo exemplo que dão, caminhos que podem ser felizes.

Eu aprendi a ser mãe com a minha mãe. Na verdade, ela, como todas as mães, errou muito. Mas, no essencial, não falhou. Nunca me faltou a noção de responsabilidade versus liberdade. Nunca me faltou incentivo para ser eu e para fazer o que eu gostava. Nunca me faltou a crítica. Faltou-me ouvir que havia orgulho em mim. Mas acho que isto era uma questão de tempo, de época. Na minha infância não ouvi ninguém dizer aos filhos os "amo-te" imensos que se ouve hoje em dia e acho que isso foi mau. Mas não me fragilizou.

A minha mãe ensinou-me que o mimo pode corromper. Eu fui demasiado mimada nalgumas coisas e hoje ressinto-me disso. Mas tenho o discernimento suficiente para perceber isto (e sei exactamente "onde" é que reside este mimo excessivo).

A minha mãe cometeu erros comigo que eu não quero perpetuar. E evito-os com os meus filhos. Mas ensinou-me coisas valiosas, que procuro eternizar neles. A minha mãe ensinou-me a pensar por mim, a ser autosuficiente e isso é valiosíssimo.

A minha mãe, que tem qualidades fabulosas (e alguns defeitos insuportáveis) é a melhor mãe do mundo. E faz anos hoje.

Obrigada por tudo. E parabéns, Mãe.


publicado por Lénia Rufino às 10:51
link do post | favorito
De Isabel a 1 de Setembro de 2011 às 08:15
Parabéns à mãe da Marianne!

Ainda não tenho filhos, mas quero ser uma mãe igual à minha. Apesar de na altura não compreender algumas das suas decisões, hoje admito que fez um bom trabalho, muito difícil, mas bastante positivo. Tenho de lhe dizer isto.
Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

a mãe

De saltos altos, de sabrinas, de ténis, de havaianas, de pantufas ou descalça. Uma mãe com dois filhos pequenos, que trabalha, que põe uma casa a mexer, que tem um marido (logo, também é esposa), que escreve umas coisas e que tenta chegar a todo o lado e mais algum. Uma mãe igual a tantas outras.

escrever à mãe

Marianne

também aqui

not so fast
not so fast *handmade*
not so fast cooking

posts recentes

Update

10 semanas

Cinco anos

Evoluções

As mães não adoecem

Um

4 anos

4 anos (1)

Inspiração

Do sono

antes

Julho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

pesquisar

favoritos

6 truques para exterminar...

Sobrefelicidade

subscrever feeds