Quarta-feira, 23 de Fevereiro de 2011

Prioridades

Tudo muito bonito, só ter olhos para os filhos, não querer saber de nada além dos filhos, anular-se completamente em prol dos filhos. Errado.

Antes de sermos mães, somos mulheres. E se é verdade que a maternidade ganha toda e qualquer competição, não é menos verdade que quanto melhor estivermos connosco, melhores mães vamos ser. E para isso precisamos de tempo. Para estar em silêncio, para beber um café com uma amiga, para dar uma volta num shopping, para ver um filme, para ler um livro, para tratar das mãos, para um banho de imersão, para o que quer que seja que nos faça sentir melhor. E não é preciso uma eternidade. Num mundo ideal, teríamos todos os dias uma hora para nos dedicarmos só a nós. No mundo real, se conseguirmos essa hora uma vez por semana (ainda que dividida) é óptimo. E é importante aproveitar. Não nos esquecermos de nós, de quem éramos antes de sermos mães. Do que gostávamos, do que fazíamos, do que nos dava prazer e do que nos fazia sentir realizadas. Não é preciso ser um génio para saber que uma mulher cansada, sem tempo para nada, frustrada com o que não consegue fazer no dia a dia, não vai conseguir dar o seu melhor. E sentir isto todos os dias só aumenta a frustração. É por isso que é tão importante não nos esquecermos de nós, a bem da nossa sanidade, da sanidade de quem vive connosco e, acima de tudo, a bem da felicidade dos nossos filhos. Uma mãe que não está bem é uma bomba-relógio capaz de explodir à mínima coisa. E isto está a milhas do que queremos ser para os nossos filhos.

De maneira que hoje resolvi que já tive "férias" que cheguem. Dei-me um mês de descanso mas agora chega. Portanto agarrei em mim e fui andar e correr. Claro que estou aqui que não me aguento. E sei que me fez melhor à alma do que ao corpo (era tão bom que aqueles 40 minutos se tornassem visíveis já amanhã!). Nada melhor do que fazer isto para me retemperar. É que depois de duas noites péssimas eu já estava em modo bomba-relógio... e, acreditem, não é bonito de se ver!
tags:
publicado por Lénia Rufino às 17:14
link do post | comentar | favorito
8 comentários:
De maedoskiduxos a 23 de Fevereiro de 2011 às 17:27
Sei tão bem o que queres dizer. Good for you! :)
De Friendly words a 23 de Fevereiro de 2011 às 17:31
Concordo plenamente com o que disseste e sei tão bem o que é estar em modo "bomba-relógio". Como costumo dizer, nasceu o meu filho, mas eu não morri. Como mulher, como casal, se estivermos bem, os nossos filhos, a nosso dia-a-dia só tem a lucrar com isso.

Beijinhos
De Mommy Kiki a 23 de Fevereiro de 2011 às 21:32
So true... E eu com uma de dois anos e um de três meses estou mesmo a precisar desses tempinhos. Começo a ficar cheia de vontade de voltar ao trabalho! :)
De Mafas a 24 de Fevereiro de 2011 às 11:58
Não podia estar mais de acordo. É fundamental estarmos bem para conseguirmos ser melhores mães e melhores pessoas. Nos dias em que estou a rebentar de cansaço fico impaciente, até com o meu filho. E geralmente, são os maridos que apanham mais por tabela o que é péssimo.
De Cleia a 24 de Fevereiro de 2011 às 21:38
Olá!
Vim ler este post por indicação de uma amiga que tanto quanto me estou a aperceber, acompanha-a religiosamente.
As ideias são comuns mas a articlação perfeita das palavras torna este post muito especial.
Parabéns!
De Laninha a 28 de Fevereiro de 2011 às 18:20
Sábias palavras as tuas.
É por ter exactamente a tua opinião que, há uns anos atrás, num rasgo visionário de inspiração, tive uma ideia genial... nunca posta em prática, porque não fui apoiada.
Um dia conto-te! ;)
De triss a 29 de Março de 2011 às 20:07
Nem mais:-)
De Marlene a 24 de Outubro de 2011 às 18:14
Obrigada por partilhares as tuas experiências / pensamentos..
Descobri hoje o teu blog e estou a adorar lê-lo... Identifico-me bastante com o que dizes. Tenho um bebe de 9 meses e estive praticamente 7 sem sair de casa, excepto para consultas. Apesar de desempregada e contra a vontade do meu marido, decidi pô-lo na creche algumas horas por dia. Depois sim, recomecei a viver, mesmo que muito mais atarefada... Passei a ter tempo para lhe fazer as sopas, tratar da casa e uns minutinhos para mim, para o meu sossego... A minha vida mudou bastante e preciso dessa horas de fôlego para recarregar baterias...
Bjinhos e tudo de bom

Comentar post

a mãe

De saltos altos, de sabrinas, de ténis, de havaianas, de pantufas ou descalça. Uma mãe com dois filhos pequenos, que trabalha, que põe uma casa a mexer, que tem um marido (logo, também é esposa), que escreve umas coisas e que tenta chegar a todo o lado e mais algum. Uma mãe igual a tantas outras.

escrever à mãe

Marianne

também aqui

not so fast
not so fast *handmade*
not so fast cooking

posts recentes

Update

10 semanas

Cinco anos

Evoluções

As mães não adoecem

Um

4 anos

4 anos (1)

Inspiração

Do sono

antes

Julho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

pesquisar

favoritos

6 truques para exterminar...

Sobrefelicidade

subscrever feeds